Carta de Edward Bach ao colega Maçon Sr. Daniel, alguns dias antes de sua morte em 27/11/1936

Mount Vernon, Sotwell,
Wallingford, Berks.
1 de novembro de 1936

Caro Sr. Daniel:
Estou diariamente à espera de um chamado para um trabalho mais agradável que o deste mundo difícil.
Portanto, se este meu corpo miserável falhar em desempenhar suas funções dignas, incluindo ostras e champanhe, e o barulho do martelo na mesa do banquete, muito menos as entradas e o corte de carne, sim! e depois o café e o charuto, sem falar no vinho …
[O Banquete Ritual Maçônico é organizado em cada Loja de acordo com o ritual estabelecido; San Juan no verão e San Lorenzo no inverno. Com o Mallete (martelo de duas cabeças, feito de madeira ou marfim), o Venerável Mestre bate na mesa do banquete e pronuncia as palavras iniciais “Mandem, Irmãos” o trabalho começa. Bach aqui faz alusão aos elementos simbólicos constitutivos deste tipo de vestimenta maçônica].
Portanto, você deve ver uma tarde, a caminho de casa, em outdoors anunciando “The Evening Standard”, “The Evening News” ou qualquer outro informante público, que o insignificante Doutor Bach se mudou para uma casa melhor. Bem, você já sabe.

O importante é que, se houver lucro com a venda dos livros atribuídos a mim, os envie à Srta. Nora Gray Weeks, por enquanto no endereço acima mencionado. Ela é minha colega de trabalho há muitos anos e pode aconselhá-lo neste trabalho em caso de qualquer dificuldade. Ele me ajudou a coletar as ervas, estudou suas habilidades comigo e sabe tudo o que sei sobre este trabalho.
Prezado Sr. Daniel, quando estamos prestes a passar pelo Vale das Sombras, podemos não ser tão reservados como quando estamos no mercado de caridade, especialmente quando tomamos um ou dois conhaques para nos animar.
A Obra que vos dei é a “Grande Obra”, é a Obra de Deus, e só Deus sabe porque devo ser chamado a separar-me neste momento de continuar a lutar pela humanidade sofredora. [É claro que aqui Bach está manifestando o alcance alquímico de sua obra e, como veremos adiante, para quem conhece “gíria”, porque, como ele, é um dos Cavaleiros da Távola Redonda].
Mas você, eu sei, é da mesma classe que eu, um dos Cavaleiros da Távola Redonda que dedicou sua vida aos outros e não a si mesmo. [A Távola Redonda foi fundada pelo Rei Arthur para reunir uma fabulosa corte de Cavaleiros-Heróis, todos eles individualidades conscientes, estabelecendo relações de perfeita igualdade entre eles, daí a construção da Távola ou Mesa Redonda. A busca do Santo Graal e dos processos alquímicos, espirituais e transcendentes do ser humano, bem como a defesa das liberdades e a manutenção da ordem cerimonial e mística para o desenvolvimento evolutivo da humanidade foram atividades dos Cavaleiros da Távola Redonda, na época do mítico Arturo e em qualquer outra].
Agradeço a grande ajuda que vocês nos deram em nosso Trabalho anteriormente. Tem sido magnífico da sua parte e muito apreciado por nossa equipe de colaboradores e por mim.
Prezado Sr. Daniel, por toda a sua bondade, sinto como se o conhecesse como um irmão, e um irmão não apenas no sentido terrestre, mas no sentido maçônico. [Além do vínculo de sangue, a fraternidade na Maçonaria é um ato de reconhecimento, gratuito, que une homens e mulheres em uma comunhão fraterna para um sentido de vida superior e transcendente]. Por que ele parou neste ponto em seus empreendimentos mundanos, só Deus sabe. Mas a minha equipe e você continuam a lutar pelo benefício da humanidade sofredora, pelas ervas que nos foram reveladas onde está a cura de todas as doenças.
Cumprimenta você fraternalmente,
Edward Bach.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s